Óleo de rícino no couro cabeludo realmente faz bem?

Óleo de rícino no couro cabeludo realmente faz bem?

13 13America/Sao_Paulo março 13America/Sao_Paulo 2020 0 Por Candice Lima

Vemos muitos relatos na Internet sobre os benefícios do óleo de rícino para os cabelos e pouco se fala dos efeitos colaterais. Será que o óleo de rícino é realmente bom?

Olá, bonequinhas!

Óleo de rícino pode nutrir os fios mas não há comprovação científica de que acelere o crescimento dos cabelos
Óleo de rícino pode nutrir os fios mas não há comprovação científica de que acelere o crescimento dos cabelos

Óleo de rícino: o novo milagre capilar?

Enquanto escrevo este post estou eu mesma testando mais uma vez o óleo de rícino nos cabelos rs. Nós estamos cansadas de saber que os óleos podem trazer vários benefícios aos fios em muitas ocasiões, especialmente para os fios danificados e que precisam de uma nutrição mais potente. Com isso, a moda da umectação com diferentes tipos de óleos acabou pegando e um óleo que tem sido bastante comentado é o óleo de rícino.

Entrei em um grupos específico para cabelos no Facebook faz alguns meses e foi lá que mais ouvi falar do óleo de rícino. Já avalio produtos para cabelo por aqui algum tempo e não me lembro de ter visto em alguma composição de produto capilar (mas convenhamos que sou esquecida), até esta semana em que decidi fazer resenha sobre a linha Elseve Longo dos Sonhos, que contém o óleo de rícino inclusive no shampoo.

Carência de dados científicos

O óleo de rícino tem sido divulgado como excelente para ajudar não só no fortalecimento dos fios como no crescimento. Li inclusive em muitos blogs e sites que ele deve ser aplicado diretamente no couro cabeludo para estimular o crescimento; muito embora eu tenha comprado um específico para cabelo (existem alguns que vendem na farmácia como laxante) e nas instruções do que eu tenho aqui não existe indicação para aplicação no couro cabeludo.

No grupo do Facebook acabei vendo muitos relatos de mulheres que apresentaram reações adversas ao usar o óleo de rícino, tais como enxaqueca, enjoo, queda de cabelo, coceira e até diarreia. E todas as reações cessaram após descontinuarem o uso do óleo de rícino.

Seria coincidência? Certamente não. O couro cabeludo é uma das regiões mais vascularizadas do corpo; isso quer dizer que muito do que aplicamos nele vai direto para a nossa corrente sanguínea. Somado a isso, não há nenhuma comprovação científica de que o óleo de rícino seja capaz de estimular o crescimento dos fios, embora ele realmente seja eficaz para nutri-los (mas para isso, basta aplica-lo do comprimento às pontas, evitando a raiz). De acordo com Wael Osman Khalil suliman e Abdalrahim mohammed bakhit:

As sementes de mamona contêm um alérgeno poderoso: CB1A
O alérgeno de mamona-1 (CB1A) é o principal alérgeno da mamona.
É praticamente não tóxico, não causa a morte, embora possa causar reações alérgicas.É um fator proteico polissacarídico. Enquanto a ricina é lábil ao calor, o CB1A é um alérgeno muito estável e um ponto de preocupação para a indústria da mamona (Kim,2006).

Sobre o crescimento, existem relatos na Internet, além de muitos blogs, sites e vendedores que afirmam; mas nada mais sólido. Mas a verdade é que o óleo de rícino causa alergia em muita gente e não vale a pena aplicar no couro cabeludo se não há de fato nenhuma comprovação de sua eficácia no crescimento dos fios. Caso realmente queira usá-lo em umectações, evite o couro cabeludo; e se mesmo assim apresentar algum dos sintomas mencionados, enxague os fios e suspenda o uso.

**Evite o uso se está grávida ou amamentando.

Curiosidade

O óleo de rícino é extraído da mamona, uma planta da família das euforbiáceas. Uma semente de mamona contém uma substância chamada ricina (tóxica) que é suficiente para levar uma criança à morte. A ricina não é uma proteína encontrada exclusivamente no endosperma das sementes de mamona, também está presente em outras partes da planta em menores quantidades. Não estou afirmando que quem usa óleo de rícino no couro cabeludo irá morrer (pelo amor de Deus!) pois a ricina não está presente no óleo de rícino, ela não é solúvel em óleo e é separada na hora da extração. Mas nada de inventar receitinha caseira com mamona!!!

Leia mais sobre o assunto (site em inglês)

Assista ao vídeo do Dr Lucas Fustinoni sobre o assunto:

Anúncios