Como os protetores térmicos funcionam

Como os protetores térmicos funcionam

29 29America/Sao_Paulo julho 29America/Sao_Paulo 2021 0 Por Candice Lima

Os protetores térmicos fazem parte de diversos produtos finalizadores e prometem ajudar a manter os fios saudáveis durante o uso das ferramentas térmicas.

Você já se perguntou o quanto os protetores térmicos são de fato importante e quais os melhores ingredientes para proteger os fios?

Quando aquecemos nossos cabelos acima de 130ºC alguns danos irão ocorrer nos fios, os pigmentos do cabelo mudam de cor (é comum os cabelos descoloridos adquirirem um tom mais acobreado); as cutículas dos fios ficam rachadas e desfiadas e a umidade evapora de dentro do cabelo, deixando os fios mais secos. Baby liss e chapinhas podem fritar as proteínas de queratina que constituem cerca de 85% do nosso cabelo, tornando-o seco e quebradiço com o tempo. Por isso existem inúmeros produtos de proteção no mercado.

O uso de protetor térmico é fundamental para manter o cabelo saudável

O uso de protetor térmico é fundamental para manter o cabelo saudável

Mas, apesar de todo o apelo comercial, apenas alguns ingredientes de proteção térmica foram estudados de forma independente.

Um estudo de 1998 analisou os efeitos do copolímero de acrilatos VP/ DMAPA, quaternio-70 e proteína de trigo hidrolisada no dano por calor de um babyliss. Eles descobriram que todos os três resultaram em 10-20% menos danos. Soluções de 1% de todos os três foram usadas no estudo, o que demonstra que elas parecem funcionar em baixas concentrações. Os pesquisadores sugerem que todos os três formam películas finas na superfície do cabelo que retarda a condução de calor e distribui o calor de maneira mais uniforme. Isso significa que o cabelo vai aquecer suavemente em vez de repentinamente e isso causa menos danos.

Em 2009, Rigoletto et. all apresentaram  um método para testar a capacidade de um cosmético oferecer proteção térmica a cabelos submetidos ao calor excessivo, utilizando o método de medição de “fragmentação das fibras capilares” por meio da penteabilidade controlada com copolímeros de acrilatos VP/DMAPA e Poliquatérmio-55. As fibras capilares apresentaram menor quebra de seus fragmentos durante o teste de penteabilidade e os ensaios demonstraram  que a  proteção térmica ocorreu não só na superfície como também no córtex.

Zhou et al. (2011) investigaram os danos térmicos causados pelo uso da prancha e os efeitos térmicos protetores com um pré-tratamento com o polímero Poliquaténio-55, copolímero de acrilatos VP/ DMAPA e VP/Acrylates/ Lauryl Methacrylate copolymer e constataram uma redução de 97% da degradação da proteína helicoidal.

Hartung et al. (2013) estudaram a incorporação de um silicone catiônico (Quatérnio-22) e constataram que a temperatura para desnaturar o cabelo aumentou, indicando que o cabelo apresentava-se menos danificado pelo calor. A melhoria foi de 70% a 80% na proteção.

Muitos outros ingredientes também podem funcionar dessa forma para proteger o cabelo – os silicones, em particular, têm baixa condutividade térmica, o que significa que, quando revestem as fibras capilares, transferem o calor lentamente. Amino silicones como quatérnios de silicone em condicionadores enxágue podem proteger o cabelo durante tratamentos térmicos de acordo com estudos do fabricante, e de acordo com o site LabMuffin, é provável que silicones como dimeticone em produtos em spray também possam (embora eles possam não revestir as fibras capilares também). Os silicones também selam a cutícula do cabelo e reduzem a perda de umidade, o que também ajuda a proteger contra os danos do calor.

Visto que os mecanismos (reduzindo a condução de calor, reduzindo a evaporação da água) pelos quais esses protetores de calor atuam são tão gerais, é provável que muitos outros ingredientes funcionem para reduzir os danos causados ​​pelo calor também – eles apenas não foram estudados ainda.

Mas devemos ter em mente que os protetores de calor apenas reduzem a quantidade de danos causados ​​pela modelagem térmica, eles não irão proteger completamente o seu cabelo.

Resumidamente, copolímero de acrilatos PVP / DMAPA, quaternium 70, proteína de trigo hidrolisada e silicones (quatérnios de silicone, dimeticone) reduzem os danos causados ​​pelo calor, mas não são capazes de conferir proteção total, por isso é importante evitarmos o uso excessivo das ferramentas térmicas.

Boas notícias

Apesar de hoje a proteção térmica do cabelo ainda ser um  assunto pouco estudo e bem limitado, pesquisadores da Universidade de Hiroshima desenvolveram no ano de 2020 uma nova técnica para observar detalhadamente o processo do calor alterando as proteínas da queratina e isso ajudará na busca de melhores ingredientes para a proteção térmica.

Antes disso, aparência das proteínas eram vistas antes de serem aquecidas e após a agregação térmica e não o processo como ele acontece. As informações progressivas sobre as mudanças estruturais da proteína ajudarão na busca por ingredientes ativos que possam suprimir os danos causados ​​pelo calor no cabelo.

Protetor térmico é importante mas não protege 100% dos danos

Protetor térmico é importante mas não protege 100% dos danos

Com base nessa pesquisa poderão ser desenvolvidos novos produtos capilares capazes de curar ou suprimir os danos ao cabelo devido ao tratamento térmico, pois assim fica mais fácil julgar com rapidez e precisão quais ingredientes podem inibir efetivamente a mudança estrutural das proteínas da queratina de diferentes candidatos a compostos. Também fica mais fácil descobrir a temperatura à prova de calor de cada ingrediente que for estudado.

Alguns dos resultados das pesquisas foram apresentados durante a 20ª reunião anual da Protein Science Society of Japan, realizada em 2020.

Fontes:

https://labmuffin.com/how-do-heat-protectant-hair-products-work/

R McMullen & J Jachowicz, Thermal degradation of hair. II. Effect of selected polymers and surfactants (open access)J Cosmet Sci 199849, 245-256

AL Gomes & SS Aguiar, Dow Corning Latin America, Silicones as Protective Agents in Thermal Treatments for Hair (open access)

YH Lim, CH Park & J Kim, Hair conditioning effect of amino silicone softeners in varied treatment conditionsFibers and Polymers 201011, 507-515

https://phys.org/news/2021-01-scientists-heat-damaged-hair.html

**https://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/9/9139/tde-31052016-160629/publico/Cibele_Rosana_Ribeiro_de_Castro_Lima_DO_corrigida.pdf